domingo, 10 de marzo de 2013

Peñarol! Peñarol! Peñarol!

Capa do blog desta semana, até hoje:

Leitores  do blog (trilhões): Em 21 de fevereiro comuniquei sobre as férias da turma da palafita, até maio, se o assalto desse certo. Deu certo. E outro maior, vinte templos de pastores e bispos 171, sacos de grana, um caminhão cheio, mal coube no jatinho. Assim, as férias irão, em princípio, até abril de 2016. Al bar fugitivos não vão. Agora 8 da manhã, Bujumbura estava linda ontem. Idem hoje, com chuva fina sobre nós, que caminhamos em direção ao mercado público.



Desde Bujumbura, nos damos conta da programação esportiva que perdemos. É o que dá sair apressado, com a grana dos pastores do alheio. Poderíamos ter ficado em Buenos Ayres até quarta-feira. Enfim, leite derramado, já era, mas faremos churrasco e acompanharemos pela internet, em princípio. 

Estamos analisando a possibilidade de voltarmos como viemos, de jatinho, mas é complicado, ida e volta, nesse passo a grana, que é para durar até 2.016, acaba se esvaindo antes do tempo. Carlito propôs interrompermos as sonhadas férias de três anos e novamente tomarmos por empréstimo mais algum dos pastores lalaus, antes de retornarmos de Buenos Ayres. A turma em peso concordou, doidos, o que gostam de aventura... mas eu empaquei, pera aí, planos se cumprem, abrir das sonhadas férias que mal se iniciaram, e sei não, voltar para dar oportunidade ao azar? Calaram, Salito tem razão, mas fiquei pensativo. A polícia não fez muita questão de nos perseguir, sabendo da nossa honestidade e de quem eram as "vítimas". Vamos ver, há uns templos que não visitamos, cada cofrão... 

Se não formos, seremos representados pelo Alex (22 anos, amigo social, nada sabe sobre nosotros), o Rei de Porto Alegre, da moçada da faculdade que é habitué do Beco do Oitavo, ele que se encontra na capital argentina em preparativos para o seu doutorado em Antropologia. Há pouco Alex, que ama o Nacional de Montevideo (e o Grêmio de Porto Alegre, pués sí), por correio eletrônico nos deu uma idéia do que passa em seu coração: 

... escrevo desde um pátio ensolarado, imerso no calor úmido do verano porteño - estímulo das mais vibrantes emanações musicais de Piazzolla. Bom receber teu e-mail e tua sugestão, ainda que o preço elevado dos ingressos dificilmente me permita frequentar algum estádio (pelo menos por agora). (...) Mas nem tudo são amenidades ou paixões efêmeras nos percursos que trilho pelas calles da maior entre as urbes austrais...

Precisará encarar uns dois anos por lá, não demonstra, mas já está mortinho de saudades das ruas da Cidade Baixa, das gentes, dos amores. Isso é parte do avanço, tchê, tu é muito forte. O risco quem corre, e morre de medo, é Porto Alegre, de ser abandonada por um dos seus melhores moços, vai que no seguimento o guapo pegue gosto e decida se tornar bonairense. Toc, toc, toc.

Na terça-feira, no estádio El Fortín de Liniers (José Amalfitani), vai se ferir um embate que se promete histórico, um grande jogo, valendo a liderança do grupo 4 da Libertadores de America. O Club Atlético Vélez Sarsfield, que desponta como o único time argentino capaz de passar para as oitavas-de-final, recebe, às 19:15 h, ninguém menos que o glorioso e amado Club Atlético Peñarolde Montevideo, amor da palafita, de todos, incluídos os haitianos que a nós se juntaram no ano passado, comandados por Aristide Neptune Salazar (e seriam loucos de contrariar... eheheh).

A luta é sensacional nesta chave: estão embolados com 6 pontos Peñarol, Vélez e Emelec, só que o Emelec tem 4 jogos, enquanto os dois primeiros somente 3. Aqui será meia-noite e quinze, hora boa para um assado à moda uruguaia, Carlito Dulcemano Yanés e Juanito Diaz Matabanquero se encarregarão dessa parte. 

O campeão deste grupo possivelmente pegará o Corinthians paulista, se este passar, pois nada é certo, mormente com certos torcedores que possui, uma hora destas os vândalos, meia-dúzia de gatos pingados, poderão prejudicar de modo irremediável o atual Campeão do Mundo, para além de já carregarem nas costas, os fiéis covardes, o assassinato de um lindo menino. 

Nosotros, los carboneros, a torcida mais ferrenha, sangre vivo, mais sentimental, mais doce, mais criativa, mais bonita, mais valente e mais elegante do mundo, e ainda mais... tudo, teremos que suar a camisa, pois perdemos em casa para os argentinos (0 x 1), mas acidentes acontecem, agora é o momento da célebre garra uruguaia. Eles, por sua vez, perderam fora para o Emelec, os colombianos que seguem vivíssimos na competição. Aliás, temos admiração pelo grande Emelec, mas torcer não dá, pela cor, azul nem sob tortura. Somos metade amarelo e preto, e metade vermelho e branco. 

Por falar na Colômbia, enquanto a terça não chega acompanhamos ontem, direto de Dallas (USA), pelo torneio Dallas Spring 2013, ao confronto do mexicano Alfonso Almeida Saenz (46), de brancas, com a nossa colombiana Aura Cristina Salazar (17 anos). A primita Aura Cristina, a linda e querida jovem antioqueña, es la mejor ajedrecista de America, para orgulho deste que escreve estas mal traçadas. Roendo as unhas, a turma viu a sua distração no 70º lance, Carlito deu um salto da cadeira. Talvez pelo cansaço da guria, ou por pressionada pelo relógio.  Com qualquer lance de torre, de espera, no 70º movimento, estaria empatada a partida (veja o tabuleiro do blog). Ela moveu seu monarca, dando saída ao rei branco.

Por fim, no que interessa aos nossos sentimentos, teremos neste domingo o São Luiz, de Ijuí (RS), vermelho e branco, em casa tentando levar o título do primeiro turno do campeonato gaúcho, diante do milionário Internacional de Porto Alegre, que não sabemos o que andou fazendo para estar ausente da Libertadores.  Aliás, sabemos muito bem, só dando com um gato morto na cabeça de certos dirigentes, aqueles... deixa pra lá. 

Só me falta os alemães azuis da Azenha levarem o mundo novamente... se prepararam para isso, só um terremoto para impedi-los. Não gosto de terremoto, mas sim de honra ao mérito. Fazer o quê? Vai um abraço aos irmãos azulões tricolores, o que temos de amigos dessa racinha, a começar pelo Alex. Se forem para as cabeças terão mais 60 torcedores indiretos aqui neste povo. Indiretos porque jamais poderíamos torcer pelo azul, mas podemos torcer contra o outro. Viva Porto Alegre.

Na foto, o panelão do diabo em que se transformará o belo estádio El Fortín en martes. Ora, do diabo, diabo nada, força de expressão: panelão de paixões, de calor humano, com respeito aos torcedores adversários - nossa outra face -, uma festa e um privilégio aos que estiverem presentes e que voltarão incólumes para as suas casas. Inesquecível.

Y así pasan los dias.


3 comentarios:

  1. Encantado, Salito. fiquei encantado. Enquanto os bostalhões dos jornais brasileiros só comentam os europeus, para não falar de animais se esmurrando, esquecendo covardemente nossos queridos irmãos de leite latino-americanos. Olhe a página de esportes dos jornais paulistas, coisa triste a submissão. Se dedicares uma página semanal aos esportes da América será sucesso total, ao menos diante dos torcedores que ainda possuem algum cérebro.
    Pablito, de Sampa.

    ResponderEliminar
  2. Salve, Pablo!
    Grato, amigo! Com teu recado fiquei sonhando coisas impossíveis.
    Quando ao sucesso, talvez. De certeza teria com a hinchada de Peñarol, pois ia esquecendo de dizer: nossos torcedores tem uma média de 200 de QI, um bando de loucos, mas no sentido de genialidade. Eu sou um dos menores QI, tenho até vergonha de contar, mas me esforço para acompanhá-los, usando de outros meios.
    Com companheirismo, carinho e respeito que procurei ao longo dos anos, me aceitaram!
    Soy carbonero!
    Abrazo.
    Salito

    ResponderEliminar
  3. Ei, López, e o América do Rio? E o Náutico Capibaribe?
    Bah, uma fila de rojos amores.
    Abrz

    ResponderEliminar