viernes, 6 de enero de 2012

Zé da Zilda

.
Zé da Zilda (José Gonçalves, Rio de Janeiro, 06/1/1908 - 10/10/1954) partiu há muito tempo, mas enquanto houver samba e carnaval sempre será lembrado. Entre tantas jóias, deixou-nos o samba Não quero mais amar a ninguém (parceria com Cartola e Carlos Cachaça), que vai com Paulinho da Viola.

Na foto com a sua mulher, a também cantora e compositora Zilda do Zé (lindo isso, né), que partiu somente em 2002.

No carnaval do ano passado já falamos dele, AQUI, quando rolamos uma marchinha de sua autoria, que quase ninguém conhece: "As águas vão rolar, garrafa cheia eu não quero ver sobrar, eu passo a mão na saca-saca-saca-rolha..." (Saca Rolha, que compôs para o carnaval de 1954, em parceria com a sua Zilda do Zé e o amigo Valdir Machado). Só podia mesmo ser um homem feliz, pois vivia proclamando que o mundo inteiro não valia o seu lar.

Abraço, Zé.


2 comentarios:

  1. Que samba lindo e antológico, ainda na voz de Paulinho, grande vascaíno de quatro costados, que sou fã; e composição de mestre Cartola e o menestrel Carlos Cachaça. Eu sou do Rio de Janeiro e também de Saõ Borja, RS. Viva Paulinho da Viola.

    ResponderEliminar
  2. Um prazer imenso ler teu recado, Osvaldo. Dos nossos. Grande abraço.
    Salito.

    ResponderEliminar